GLOSSÁRIO ASATRU

Æsir ou Ases – Deuses escandinavos que compõem a mais importante estirpe e cuja função é principalmente a guerra e a manutenção da ordem cósmica. A ela pertencem Odin, Thor e Týr, entre outros.
Agnar – Filho do rei Geirroethr.
Althing – Assembléia nacional dos islandeses, que se reunia anualmente ao ar livre.
Angrboda – Giganta que com Loki teve três filhos: o lobo Fenrir; Jörmungarð, a serpente de Miðgarð; e Hel, a guardiã do Niflheim, o inferno dos nórdicos.
Anões, Gnomos ou Elfos escuros – No princípio eram os vermes da carne de Ymir. Os deuses, no entanto, deram a eles forma humana. Exímios artesãos e ferreiros, forjam armas e jóias para os deuses e os homens.
Apolo – Filho de Zeus e Leto, é o deus solar dos gregos.
Ares – Filho de Zeus e Hera, é o deus grego da guerra.
Asathorr – Um dos epítetos do deus escandinavo do raio de do trovão. Significa Thor dos Æsir.
Ásgarð, Asgard ou Ásgard – Cidade dos deuses. Fica no céu, cujo acesso se dá por Bifröst.
Askr ou Ask e Embla – O primeiro casal humano.
Audumla ou Auðumla – Vaca que alimentava Ymir com quatro rios de leite que jorravam de suas tetas.
Balder, Baldr ou Baldur – Deus solar escandinavo. Filho de Odin e Frigga.
Balmung – Nome da espada de Siegfried.
Bifröst – A ponte do arco-íris, que liga a Terra a Ásgarð. É vigiada por Heimdall.
Bilskirnir – Palácio onde Thor recebia os camponeses e escravos depois de suas mortes. Era muito grande, pois possuía 640 aposentos.
Bláin ou Blain – Gigante cujas pernas teriam formado a raça dos gnomos. Segundo alguns, trata-se do gigante primordial Ymir.
Brimir – Gigante cujo sangue também teria formado a estirpe dos gnomos. Contudo, alguns acham que trata-se do gigante primordial Ymir.
Bor, Borr ou Bur – Filho de Buri. Casou com Bestla, filha do gigante Bölþorn, que gerou Odin, Vili e Vé ou Vei.
Bragi – Deus escandinavo da poesia.
Brokk – Anão meio desastrado cujo irmão Eitri era um excelente artesão.
Brunilde – Rainha da Islândia. Casou-se com o rei Gunther que só conseguiu conquistá-la graças à ajuda de Siegfried. Na obra de Wagner é uma valquíria.
Burgúndia – Região da antiga Germânia.
Buri ou Búri – O homem que surgiu da neve.
Býleist – Irmão de Loki.
Cíclopes – Gigantes que possuíam um só olho no meio da testa. Eram excelentes ferreiros e forjaram armas mágicas para os deuses: o raio, para Zeus; o tridente para Posídon; e o capacete da invisibilidade, para Hades.
Codex Regius – Nome tradicional de alguns manuscritos escandinavos: GKS 2365 4o, que contêm versões da Edda poética, datado de 1270-1300; GKS 2367 69
4o, com versão da Edda em Prosa, datado de 1300-1350; GKS 1157, com versão do Gragás, datado entre 1271-1273.
Codex Wormianus – AM 242 fol W, manuscrito que contêm uma versão importante da Edda em prosa e que data de 1350.
Cremilde – Irmã do rei Gunther. Casou-se com Siegfried.
Dioniso – Filho de Zeus e Sêmele, é o deus do vinho, dos instintos e da primavera.
Disticha Catonis – Coleção de conselhos e instruções da Antigüidade Tardia de autoria de Marco Pórcio Catão, por meio dos quais um pai quer ensinar seu filho como comportar-se de maneira boa e conveniente. Na Idade Média circulou uma versão, cuja autoria não pode ser comprovada.
Do ut des – Expressão latina que significa intercâmbio.
Donner, Donnar ou Donar-Thor – Deus germânico do raio e do trovão, correspondente ao escandinavo Thor.
Draupnir – Anel mágico confeccionado por Eitri. Era capaz de gotejar a cada nove dias oito anéis iguais a ele. Foi dado a Odin.
Drückgeister – Espíritos dos mortos que são hostis aos homens e trabalham no intuito de prejudicá-los. Possuem ora forma de homens, ora forma de animais. Eclesiástico – Um dos livros da Bíblia. Sua autoria é atribuída a Jesus, filho de Sirach, que colocou no livro reflexões pessoais.
Edda – Nome das obras da literatura mítica em nórdico antigo: a Edda Antiga (ou poética ou Maior), que contém os antigos temas e motivos heróicos e mitológicos da Escandinávia da Era Viking; a Edda Moderna (ou Prosaica ou Menor), um livro de aprendizado para os poetas, redigido pelo intelectual e historiador islandês Snorri Sturluson, por volta de 1220.
Egill saga – História escrita por Snorri Sturluson que narra a vida de um famoso
escaldo, Egil Skallagrimson.
Eitri – Anão que era excelente artesão. Confeccionou os seguintes presentes para os deuses: um javali de cerdas de ouro; um anel de ouro, e um magnífico martelo, que em função da inabilidade do irmão, saíra com o cabo um pouco curto. No entanto era um martelo mágico, pois quando lançado voltava à mão de quem o havia atirado logo após ter atingido o alvo.
Elfische Geister – Espíritos feéricos que habitam a natureza e os elementos como os espíritos da morte. São geralmente compassivos e benévolos com os homens.
Elfos ou Elfos luminosos – Sua aparência é mais formosa que o Sol. Vivem em Álfheim, reino dado pelos Æsir ao deus Freyr.
Eiríkr Machado Sangrento – Rei da Noruega, morto em 954. Um dos mais famosos Vikings da História.
Fafner – Gigante que na obra de Wagner, após matar seu irmão Fasolt, vai embora com o ouro do Reno, o anel e o Tarnhelm, um capacete capaz de dar o poder da invisibilidade a quem o usa. Após transformar-se em dragão, torna-se o guardião do tesouro, escondido em uma caverna. É também o nome do filho de Hreidmar.
Fasolt – Gigante irmão de Fafner.
Fenrir ou Fenris – Lobo, filho de Loki e Angrboda. Decepou a mão do deus Týr e no Ragnarök será o responsável pela morte de Odin.
Forseti – Deus escandinavo da Justiça. É filho de Balder e Nana, a deusa da pureza.
Frâmea – Tipo de arma pontuda de arremesso, que representava entre os germanos o ato da concessão da toga viril e início da mocidade entre os romanos: antes, o mancebo era apenas membro da família, agora é um cidadão da tribo.
Freia ou Freya – Deusa germano-escandinava do amor e da beleza.
Freyr, Freir, Frey ou Fricco – Deus Vanir, irmão gêmeo de Freia. Segundo a Edda em prosa, decide quando o Sol deve raiar e quando a chuva deve cair, controlando a fertilidade da terra.
Frija-Frigg, Frigg ou Frigga – Esposa de Odin e mãe de Balder, segundo uma variante.
Froh – Deus germânico da fertilidade. Corresponde ao escandinavo Freyr.
Fulla ou Fuelle – Deusa virgem que cuida do estojo e dos sapatos de Frigg, além de conhecer seus segredos.
Futhark – Alfabeto rúnico dos antigos germanos, chamado assim pelas suas seis primeiras letras.
Fylgia ou fylgyur – Espíritos protetores dos animais, manifestando-se, às vezes, sob aparência teriomórfica.
Garm – Cão do inferno ou lobo que, no Ragnarök, lutará com Týr, matando-se um ao outro.
Geirroethr – Rei gigante escandinavo.
Gerthr ou Gerd – Giganta que casou-se com Freyr.
Gesta Danorum – Obra constituída por dezesseis livros que conta a história da Dinamarca. Foi escrita por Saxo Gramaticus no século XIII d. C. Gigantes – Seres da mitologia germano-escandinava que, além de serem inimigos naturais dos deuses, eram muito fortes e grandes. Havia duas espécies de gigantes: do gelo e da montanha. Existem gigantes em diversas mitologias tais como a grega e a hebraica, entre outras.
Gimlé – O melhor lugar para se estar no céu, depois do Ragnarök.
Ginnungagap – Segundo De Vries, é o espaço cósmico repleto com uma força mística, semelhante ao Caos grego. Significa abismo aberto.
Glasisvellir ou Glaesisvellir – Região maravilhosa, misteriosa e remota, eventualmente visitada por viajantes que a descrevem. São as Planícies de Glasir, ou “Planícies Resplandecentes”, que parecem corresponder à Ithavöllr édica dos deuses.
Grettis saga – Narra a vida de um fora-da-lei chamado Grettir, “o forte”, durante o início do século XI.
Grímnir – Nome adotado por Odin, que significa o mascarado, o embuçado. Com este epíteto, o deus pronuncia um discurso didático, mitológico, em especial cosmográfico, dirigido ao menino Agnar, filho do rei Geirroethr.
Grímnismál – Poema constante na Edda poética.
Gripahellir, Gripahell ou Gnipa – Caverna onde está encadeado o cão Garm.
Gullinbursti ou Gullinborsti – Javali criado por Eitri e dado como presente a Freyr. Além de ter cerdas de ouro, era mais veloz que um cavalo, possuindo a capacidade de voar e de andar sobre as águas.
Gungner – Lança mágica confeccionada pelos filhos de Ívaldi, que nunca deixava de atingir o alvo. Foi dada a Odin.
Guthmundr – Rei das Planícies de Glasir.
Gylfaginning – Texto da Edda em prosa, de Snorri Sturluson.
Hades – Deus dos mortos na mitologia grega. Este também é o nome do local para onde vão os mortos e é dividido em três setores: Tártaro, Érebo e Campos Elísios.
Hagen de Tronje – Um dos cavaleiros do rei Gunther. Matou Siegfried covardemente. Na obra de Wagner, Hagen é o filho que Alberich teve com uma mulher da estirpe dos Gibshungs, no intuito de prepará-lo para recuperar o anel, feito com o ouro do Reno.
Háthor – Deusa celeste egípcia, representada por uma vaca.
Harald saga Hárfagra – Saga que narra a vida e obra do famoso Harald cabelos finos, o unificador da Noruega (nascido em 880 e morto em 930).
Hauksbók – Importante conjunto de manuscritos preservados da Islândia, com versões da Voluspá, Landnámabók e Eiríks saga, entre outros. É datado do século XIII.
Hávamál – Poema constante na Edda poética.
Heimdallr, Heimdall ou Heimdalli – Deus nórdico, cujo teônimo significa “o que brilha sobre o mundo”. Originalmente uma divindade solar, era o guardião dos deuses. Como possuía os sentidos muito apurados, fora escolhido para vigiar Bifröst, a ponte do arco-íris. Quando esta fosse invadida pelos gigantes do gelo e da montanha, no Ragnarök, sopraria uma trombeta e acordaria os deuses, que rapidamente entrariam em assembléia.
Heimskringla – De autoria de Snorri Sturluson, esse texto narra a história dos reis noruegueses.
Hel – Filha de Loki e Angrboda. Foi lançada ao Niflheim pelos deuses e feita rainha deste local pelos mesmos.
Hércules – Semideus romano, filho de Júpiter e Alcmena. Teve que se submeter a doze trabalhos impostos por seu primo Euristeu. Foi comparado a Thor por Tácito.
Hervarar saga ok Heithreks konungs – Saga legendária do século XIII, que narra as aventuras de Hervor, uma guerreira e mercenária Viking.
Hodur, Hodr ou Höðr – Deus cego e muito forte. Guiando a sua mão, Loki o fez atingir Balder mortalmente, com uma lança cuja ponta fora embebida no sumo das bagas maceradas do visco. Na Edda em prosa, Hödr acerta Balder com um ramo de visco.
Himinbjorg ou Himinbjörg – Local onde mora Heimdall, cujo significado é montanha dos céus.
Hoenir, Hönir ou Honir – Irmão de Odin, aparece também com o nome de Vili.
Holde-Berchta – Deusa da morte entre os germanos, corresponde à escandinava Hel.
Hropt – Um dos vários epítetos de Odin.
Hugim ou Hugin – Um dos dois corvos de Odin. Seu nome significa pensamento.
Húsdrápa – Poema escáldico de Úlfr Uggason.
Hymir – Gigante que, junto com Thor, pescou Jörmungarð, usando como isca a cabeça de um boi.
Hymiskvitha – Poema édico.
Hyndluljóth – Poema constante da Edda poética, conhecido também como poema de Hyndla.
Idun ou Iduna – Esposa de Bragi. É a guardiã das maçãs mágicas, que dá juventude eterna aos deuses nórdicos.
Iggdrasil ou Yggdrasil – Freixo gigantesco que era o sustentáculo do cosmo. Possuía três raízes: uma em Ásgarð, a cidade dos deuses; outra em Niflheim, para onde iam aqueles que não morriam em combate; e a terceira em Jötunheim, a terra dos gigantes. Seus ramos espalhavam-se pelos nove mundos.
Indra – Na mitologia hindu é um deus guerreiro ao qual são atribuídas algumas características de trickster, ou seja, de trapaceiro. Foi transformado em demônio tanto pelos sacerdotes avésticos orientais, os âthravans, quanto pelos sacerdotes medas ocidentais, conhecidos como Magos.
Ísis – Deusa egípcia, esposa fiel de Osíris, que reuniu os pedaços do corpo
esquartejado do marido e concebeu Hórus. Na época romana, Ísis se torna uma
deusa dos mistérios.
Ísis-Néftis – Quando atuam juntas no embalsamamento do morto são conhecidas
como as duas gêmeas, responsáveis pela vigilância do mesmo, que por virtude
dos ritos se haviam convertido em Osíris.
Ithavöllr ou Iðavöll – Planície brilhante ou Planície Sempre Verdejante, onde,
segundo a Edda em prosa, Ásgarð um dia esteve.
Ívaldi – Anão, cujos filhos eram excelentes metalúrgicos. Confeccionaram para Loki uma peruca de ouro, que foi dada a Sif; uma lança mágica e um barco mágico.
Jarls – Os nobres, na antiga sociedade germânica.
Jörð ou Jord – Mãe de Thor, representa a terra original, inabitada, que não temrelações com os homens.
Jörmungarð – Nome da Serpente de Miðgarð.
Jötunheim ou Jötunheimr – Reino dos gigantes.
Júpiter – Deus do raio e do trovão e líder do panteão romano. Corresponde ao Zeus grego.
Karls – Camponeses livres e também soldados na antiga sociedade germânica.
Landvaettir – Seres sobrenaturais relacionados com a terra e ou uma região, comumente traduzidos como “espíritos da terra”.
Lif – Homem que, com sua mulher Lifþrásir, conseguiu sobreviver ao Ragnarök, escondido no Bosque de Hoddmímir. Seu nome significa “vida”.
Lifþrásir ou Lifthrasir – Mulher de Lif. Seu nome significa “desejosa da vida”.
Lokasenna – Poema constante da Edda poética no qual Loki faz críticas sarcásticas aos deuses.
Loki – Deus ou semideus do fogo, considerado como o intriguista dos Æsir. Segundo a Edda em prosa, pertence à família dos gigantes.
Lóthur – Irmão de Odin, também conhecido como Vé.
Magne – Filho de Thor com a giganta Járnsaxa.
Maia – Na terminologia hindu, era a matéria primordial e, mais tarde, a ilusão enganadora ou a energia criadora dos deuses. No Rig-Veda, Maia é a matéria primordial com que os deuses constróem o universo. Maia é também o nome da mãe de Hermes.
Marte – Deus romano da guerra. Corresponde ao Ares grego.
Megingjarder – Cinturão de força do deus Thor que, quando afivelado, duplicava o seu poder divino.
Mercúrio – Filho de Júpiter e Maia, é o deus mensageiro das divindades romanas. Tem também a função de psicopompo (condutor de almas) no Hades. Foi associado a Wotan por Tácito.
Midgard, Mithgarth ou Miðgarð – Fortaleza criada das sobrancelhas do gigante primordial Ymir e que foi dada aos homens como morada.
Mitra – Deus solar indo-iraniano. Matou o touro primitivo, o primeiro ser vivo criado por Ahura-Mazda, deus do céu e criador de todos os seres.
Mjölnir, Mjolnir ou Miölnir – O martelo de Thor. Após atingir o alvo, sempre voltava para as mãos do deus. Além de ser utilizado para esmagar as cabeças dos gigantes, possuía propriedades criativas, servindo também para consagrar as cerimônias de nascimento e morte.
Mode – Filho de Thor.
Munim ou Munin – Um dos dois corvos de Odin. Seu nome significa memória.
Muspellsheim, Muspellheimr ou Muspell – O primeiro mundo a existir. Situavase ao sul e era quente e luminoso.
Nasátya – Deuses gêmeos curandeiros da mitologia indo-iraniana. São doadores de posteridade e de toda sorte de bens.
Nerto ou Nerthus – Grande-mãe escandinava que com Niörd, o deus dos mares, gerou os deuses Vanir Freyr e Freia.
Nibelungos – Raça de anões liderada por Alberich, o negro.
Nídafjoll ou Nithafjoll – Rochedo escuro.
Nidhogg ou Niðhögg – Dragão que rói a raiz de Iggdrasil que se encontra na fonte Hvergelmir, em Niflheim.
Niflheimr ou Niflheim – Inferno nórdico, para onde iam aqueles que não morriam em combate.
Njördhr, Njörd, Niörd, Njord ou Niörð – Deus escandinavo dos mares. É da
estirpe dos Vanir e pai dos gêmeos Freyr e Freia.
Nornas ou Nornes – Deusas nórdicas do destino. Eram três: Urd, Verdandi e Skuld, que representam respectivamente o passado, o presente e o futuro.
O anel do Nibelungo – Mega ópera de Richard Wagner composta por 4 óperas:
O ouro do Reno, A valquíria, Siegfried e Crepúsculo dos deuses. Nesta obra,
Wagner se utiliza de mitos germânicos.
Ódáinsakr – O “campo da não-morte”, situado nas Planícies de Glasir.
Odin, Odhin-Wodan, Wodan-Odin, Óthinn ou Óðinn – Deus máximo do panteão escandinavo. Deixou seu olho esquerdo na fonte de Mímir em troca de sabedoria. Depois dirigiu-se a Iggdrasil, e ferindo-se com a própria lança, dependurou-se em um galho do freixo sagrado e ali permaneceu por nove noites, quando surgiram então as runas. Ökuthor – Epíteto do deus Thor. Significa Thor das carruagens.
Ondinas – Habitavam o fundo do mar, atraindo os viajantes para não os deixar mais partir.
Pandora – A primeira mulher, segundo a mitologia grega. Criada por Hefesto, recebeu dádivas de vários deuses. Ao abrir uma arca dada por Zeus, libertou os males que assolam a humanidade até os dias de hoje.
Parcas – Deusas romanas do destino. Eram três: Nona, Décima e Morta, e regiam o nascimento, o casamento e a morte. Com a influência grega, identificaram-se com as Queres, ou seja, Cloto, Láquesis e Átropos, projeções da Moira. Assim, converteram-se em fiandeiras da vida e da morte.
Ragnarök, Ragnarok ou Ragnaroek – O fim do mundo, para os escandinavos, quando os deuses serão derrotados por monstros e gigantes e o mundo será consumido pelo fogo.
Ragnarsdrápa – Poema escáldico, de Bragi.
Ríg – Outro nome de Heimdallr, segundo alguns estudiosos.
RígsÞula – Poema édico que narra a origem das três categorias sociais dos nórdicos, no momento em que o deus Ríg (Heimdallr, segundo muitos) visita os
humanos.
Rolf Polvo – Jovem príncipe que matou Adil, o assassino de seu pai. Devido a uma desfeita cometida contra Odin, Rolf perde a benção do Deus supremo e, ao final da Saga, seu reino é destruído justamente em conseqüência da vingança de Odin.
Rota Fortunae – Alegoria medieval que descreve a inconstância e a não perenidade das benessses do mundo. O termo Fortuna em latim simboliza a divindade responsável pela sorte. Confira em português, “afortunado”.
Saga – Nome dado às narrativas orais islandesas e escandinavas, que receberam versão escrita após o século XII.
Samsara – A roda das reencarnações, para os hindus.
Serpente do Mundo ou Serpente de Midgard (Jörmungarð) – Serpente gigante, filha de Loki, que, depois de atirada ao mar por Odin, enroscou-se em volta da Terra. Despertará, no entanto, no Ragnarök, quando morrerá pelas mãos de Thor, que impregnado pelo seu veneno também cairá morto.
Siegfried – Herói germânico, neto de Odin. Matou um dragão conquistando o tesouro dos Nibelungos.
Sif – Mulher de Thor.
Sigrdrífa – Valquíria que ensinou ao herói Sigurthr os grandes segredos mágicos cujo conhecimento seria necessário para triunfar de perigos variados.
Sigrdrífumál – Poema constante na Edda poética.
Sigurthr – Herói escandinavo correspondente ao germano Siegfried.
Skålds ou escaldos – Trovadores escandinavos.
Skíðblaðnir ou Skidbladnir – Barco mágico confeccionado pelos filhos de Ívaldi. Era grande o suficiente para conter os deuses e seus pertences. No entanto, podia ser dobrado e guardado numa bolsa. Além disso, sempre que se fazia ao mar surgia um vento para enfunar suas velas. Foi dado a Freyr.
Sleipnir – Cavalo cinzento de oito patas pertencente a Odin.
Snorra Edda – Nome pelo qual é também conhecida a Edda em prosa, de Snorri Sturluson.
Surt – Gigante guardião do reino de Muspell. Possui uma espada flamejante e, no Ragnarök, destruirá o mundo queimando tudo com o seu fogo.
Svartalfheim – Reino dos anões, gnomos ou elfos escuros.
Svathilfaeri ou Svaðilfaeri – Cavalo do gigante que se propôs a construir uma fortaleza para os deuses, sendo enganados por eles. Loki, sob a forma de égua, foi fecundado pelo garanhão, dando à luz o corcel Sleipnir.
Tanngniostr – Um dos dois bodes negros que puxam a carruagem de Thor. Seu nome significa dente triturador.
Tanngrisnr – Um dos dois bodes negros que puxam a carruagem de Thor. Seu
nome significa dente perfurador.
Tetralogia – Nome pelo qual também é conhecida a obra wagneriana O anel dos Nibelungos.
Thialfi ou Þjálfi – Filho de um fazendeiro que deu guarita a Thor e a Loki. Por ter desobedecido a uma ordem de Thor se tornou seu servo.
Thor, Tór ou Þórr – Deus escandinavo do raio e do trovão.
Thorstein tháttr baejarmagns – Conto escandinavo que narra as aventuras de Thorstein em cenários fantásticos.
Thrales ou Thraell – Escravos, na antiga sociedade germânica.
Thrudvangar – Local onde ficava Bilskirnir, o palácio de Thor.
Trolls – Termo genérico, pelo qual vários tipos de personagens míticos são designados. É também a forma usual pela qual os gigantes eram conhecidos na Escandinávia.
Trym – Rei dos gigantes. Roubou e enterrou o martelo de Thor 5 quilômetros terra abaixo.
Trymskveda ou Þrymskviða – Poema que consta da Edda poética, narrando o roubo do martelo do deus Thor.
Týr, Tyr, Tyr/Ziu, Tiuz-Tyr ou Tiu – Deus escandinavo da guerra.
Uller ou Ull – Filho de Sif e enteado de Thor. Hábil com o arco e flecha e também
com os esquis, ninguém pode competir com ele. É bom invocá-lo nos duelos.
Urvolk – Termo em alemão que significa “povo primitivo”, o que teria habitado, em primeiro lugar, determinada região geográfica.
Útgarðaloki – Região onde viviam os gigantes.
Vafthrúthnir – Nome de um sábio gigante.
Vafthrúthnismál – Poema constante na Edda poética.
Valhalla ou Walhalla – Paraíso para onde iam os guerreiros mortos no campo de batalha.
Valquírias, Valkírias ou Walküren – Deusas guerreiras que transportavam em seus cavalos os guerreiros mortos nas batalhas para o Valhalla. O termo Valquíria significa “mensageira da morte”.
Vanir ou Vanes – Deuses que pertencem a uma estirpe considerada inferior a dos Æsir. São voltados para a terra, a fecundidade e o sexo.
Varuna – Deus indo-iraniano que vela pela observância dos juramentos. Rege os céus, a atmosfera e as águas.
– Filho de Bor e irmão de Odin e Vili.
Viðar, Vidar  – O deus taciturno. Filho de Odin com a giganta Gridr. Possui pesados sapatos e é tão forte quanto Thor. Dizem que conhece o fim do mundo.
Vígríð ou Vigrid – Planície que se estende por cem rasta (12 Km aproximadamente) em todas as direções. É o campo de batalha onde os deuses e seus inimigos se enfrentarão no Ragnarök.
Viking – Termo genérico que designa os habitantes da Escandinávia durante o período que compreende os anos de 793 a 1100 d.C. Em sentido estrito, ou seja, do ponto de vista das fontes escandinavas de época, o termo víkingr significa pirata ou navegante, geralmente com sentido positivo.
Vili – Filho de Bor e irmão de Odin e Vé.
Völuspá – Poema constante na Edda poética, de temática essencialmente
escatológica.
Walvater – Epíteto de Odin. Significa “pai dos mortos”.
Wotan ou Wodan – principal deus do panteão germânico, equivalente ao Odin escandinavo.
Ymir ou Imir – Gigante primordial. Morto e esquartejado pelos deuses Odin, Vili e Vé, teve suas partes transformadas no mundo.
Ynglinga saga – Primeira parte da Heimskringla. Narra a origem mítica da realeza nórdica.
Zeus – Rei dos deuses no panteão grego. Além disso é a divindade do raio e do trovão.
Zio-Tir, Ziu, Tius ou Tiuz – Deus da guerra entre os germanos.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *